19.7.16

Esmaltes preferidos do momento



Oi genteeee  Hoje eu vim falar sobre esmaltes e unhas, um assunto que não é muito visto aqui no blog, mas como esses dias eu pintei as unhas com os esmaltes que eu mais estou amando no momento, achei legal falar sobre isso aqui! Eu precisava haha

As unhas que eu fiz foi esse clássico com durex haha. E como eu amo a combinação preto com rosa, achei super legal usar essas cores nas unhas, na verdade, me apaixonei! Apesar de ser simples, a escolha dos esmaltes fez com que ficasse super lindo.



Tudo bem, podem não ter ficado perfeito, mas como eu sou péssima quando se trata de pintar as unhas (apesar de eu gostar muito), eu amei o resultado! 

Sobre os esmaltes 



O esmalte Rosa Chic da Corbela  foi o que eu usei por baixo. Passei ele primeiro, e esperei secar. Além de amar a cor maravilhosa desse esmalte, que é um rosa forte, mas não voltado para o chiclete, eu gosto muito tanto da durabilidade dele nas unhas, e principalmente de precisar passar apenas uma camada do esmalte pra que ele fique perfeito. Não precisa de duas camadas e isso me encantou, porque é o único esmalte assim que eu tenho.


Depois de seco, coloquei fita adesiva para demarcação na metade de baixo da unha, e usei esse #Bruxinhachic da coleção da Boca Rosa, da Studio 35. O esmalte é lindo de morrer, tem muito glitter e dura que é uma beleza. E apesar da textura grossa do glitter ser algo proposital, não me agradou muito, prefiro usar ele com um esmalte preto por baixo, e depois passar uma camada fina dele por cima. Dessa forma, para mim, fica perfeito, e amo usar ele assim!



E pra finalizar eu usei o Mega Brilho Perfumado da Lorena, e gente, realmente da um super brilho incrível! Todas as vezes que eu faço a unha, preciso finalizar com esse esmalte, e o melhor é que além dele ter esse brilho todo, e na minha opinião ajudar na duração do esmalte, ele tem um cheiro muuuito bom, porque ele é perfumado!!!!. Eu pareço uma louca na rua cheirando as unhas hahaha, mas é irresistível. 


O legal dele é que fica super lindo se você usar sozinho também, a unha fica com aquele brilho todo, e por esse ser assim roxinho transparente, isso faz com que tire todo o amarelado das unhas. É muito amor! Acho que tem sido o meu esmalte preferido dos preferidos no momento hahaha. E eu ganhei ele da Céli Cosméticos, uma empresa que trabalha com marcas de ótima qualidade, incluindo a marca Lorena! E eles tem uma linha super fofa que vou mostrar pra vocês em breve  

Ah, tirei a foto acima pra vocês adivinharem, qual é a unha que ta sem o Mega Brilho? Da pra perceber? Dica: olha a parte rosa das unhas.

Gosto muito de falar sobre unhas, e pretendo trazer mais esse assunto para o blog. Depois de tirar essas fotos minhas unhas quebraram (de novo) , e agora elas estão beeem curtinhas. Então, comecei uma maratona de tentar ter as unhas gigantes de novo, espero que me acompanhem nessa meta hahaha.

Uma foto publicada por L A R I Z (@butlariz) em


Gostou do post? Já conhecia esses esmaltes? Descobriu a sem o Mega Brilho? Comente <3 

11.7.16

Resenha: A Mulher do Viajante no Tempo

Resenha do livro A Mulher do Viajante no Tempo


Vou começar falando que essa não vai ser uma resenha comum. Te prometo que não vou soltar nenhum spoiler importante, mas vou logo avisando que foi escrita com o coração, e não com a razão. 

• • •

Sinopse de A Mulher do Viajante no Tempo: Henry sofre de um distúrbio genético raro e de tempos em tempos, seu relógio biológico dá uma guinada para frente ou para trás e ele então é capaz de viajar no tempo, levado a momentos emocionalmente importantes de sua vida tanto no passado quanto no futuro. Causados por acontecimentos estressantes, os deslocamentos são imprevisíveis e Henry é incapaz de controlá-los. A cada viagem, ele tem uma idade diferente e precisa se readaptar mais uma vez à própria vida. E Clare, para quem o tempo passa normalmente, tem de aprender a conviver com a ausência de Henry e com o caráter inusitado de sua relação.

Gif Clare e Henry - A Mulher do Viajante no Tempo


• • •

História: Quando Clare tinha 6 anos, conheceu o Henry, um homem de 36 que dizia vir do futuro. É claro que a princípio, a menina não acreditou, mas em um segundo encontro, ele conseguiu provar da onde vinha. Então Clare passou a sua infância inteira esperando pelo seu amigo do futuro, que aparecia ás vezes e vindo de épocas diferentes. Como ele deu a ela todas as datas em que apareceria, ela sempre sabia quando esperar. Conforme foi crescendo e virando adolescente, começou a ter sentimentos por aquele homem (que até então parecia não a corresponder, afinal ele era mais velho e até casado), e quando chegou a hora, Clare soube que ela era a esposa de Henry, e chegaria um momento que ficariam 2 anos sem se ver. 

Mas para Henry, não foi assim. Ele tinha 26 anos, quando Clare, uma moça bonita e encantadora (de 20 anos) apareceu em seu trabalho na biblioteca, e ficou feliz em o encontrar (apesar de ele não saber quem ela era). Logo marcaram um encontro, e então ela pode contar pra ele como o conhecia. A partir daí, não há dúvidas que ficariam juntos. 

Cena Clare e Henry - A Mulher do Viajante no Tempo


É importante lembrar que a história não gira em torno só do relacionamento deles, mas também da vida de Henry, de como foi a infância dele, como é viajar no tempo, de como ele precisa se virar quando aparece em um lugar e em um tempo desconhecido, sem nada e nem se quer o que vestir. E de como ele sempre precisa arrumar uma desculpa ou uma forma de sair dos momentos mais constrangedores.

• • •


Minha opinião: Gosto de pensar que essa história é dívida em duas partes: A parte antes do Henry conhecer a Clare na biblioteca - que é quando mostra quando eles se conheceram na visão dela, e tem toda a história e os dramas do lado adolescente da Clare (quem nunca né?), e como é ter que amar alguém que só aparece de tempos em tempos e só fica um pouquinho; e a parte depois deles se conhecerem na biblioteca - que mostra mais a vida deles como casal, alguns problemas mais maduros que enfrentam, e como a Clare precisa viver com os sumiços repentinos do Henry.

A Mulher do Viajante no Tempo é o livro mais perfeito que eu já li na minha vida. Apesar de ser um livro de romance, ele não é cheio de coisas fofas e cenas de casais melosas. Ao contrário, conta a vida de duas pessoas que se amam e querem ficar juntas, mas que enfrentam diversas dificuldades pra isso. Parece até que tudo acontece para que eles deem errado, mas o destino quis que eles ficassem juntos. (Ou não?) 

A história é bastante confusa, principalmente de se explicar. Quando você está lendo, é fácil ligar os pontos e entender o que está acontecendo, mas é diferente, porque ele não tem um tempo cronológico comum. Até porque a história é contada em trechos, as vezes no presente, ás vezes no passado, e ás vezes no futuro. Algumas partes são contadas no começo, e depois na metade do livo voltam a aparecer. Algumas partes em certo momento fazem parte do futuro ou passado, mas em outro momento do livro, já fazem parte do presente... Enfim, o tempo cronológico é uma bagunça proposital, e justamente por toda essa dinâmica, que não é um livro chato ou clichê. Ele é diferente de tudo que eu já li antes. 

Cena Clare e Henry - A Mulher do Viajante no Tempo


Outra característica principal do livro, é que ele é contado na visão da Clare, e do Henry. Por isso, antes eu falei que é um livro sobre duas pessoas (e não sobre um casal), porque mostra o ponto de vista dos dois nessa história. O que eles pensam, sentem, o que fazem quando não estão um com o outro, e como o mesmo relacionamento é tão diferente na história dos dois (por exemplo: O Henry conhece a Clare desde que ela era criança, mas ela conhece ele há muito mais tempo). Achei muito legal ter mais essa dinâmica no livro, de a gente poder saber os dois lados. 

E mais uma coisa que eu acho importante de ser citada: Esse livro me prendeu do início ao fim. Não teve momento algum em que eu quis parar de ler, ou fiquei com preguiça de continuar. Eu só queria continuar lendo, e lendo, porque é muito legal, surpreendente, te prende muito, e é cheio de sentimentos. Não tem só romance, tem muito drama, aventura, sexo, e várias outras coisas que fazem parte da nossa vida. Por mais que tenha as Viagens no Tempo, é uma história que tenta ser o mais real e normal possível, com todas as aventuras, dramas e problemas que Clare e Henry podem enfrentar como casal, e como pessoas. Então é muito fácil nos identificar. 

Ahhhh e tem humor também! Em diversas cenas, tem muitas frases engraçadas (principalmente do Henry) e momentos constrangedores que nos fazem morrer de rir. Sem contar as lágrimas, é claro. Além do seu choro principal em determinado momento desse livro, você com certeza vai sentir seus olhinhos se encher de lágrimas em outras cenas profundas e bem fortes, com acontecimentos muito reais. 

Cena Clare e Henry - A Mulher do Viajante no Tempo


E faço desse trecho que encontrei no site da Saraiva, as minhas palavras: "Neste livro, a autora mostra com muita sensibilidade, inteligência e bom humor que o verdadeiro amor é capaz de transpor todas as barreiras - inclusive a mais implacável de todas: o tempo."

Peço desculpas a todos os livros que eu já li, mas esse livro é sem dúvidas o melhor de todos. Vai ser realmente difícil algum superar ele, e se acontecer, vou fazer questão de dar um update nesse post e avisar. Claro que minha nota é um milhão, e se tem uma coisa que eu tenho certeza depois de terminar essa resenha, é que vou ler esse livro de novo. 

• • •

Audrey Niffenegger é a autora dessa maravilha, e o mais incrível é que esse foi o seu primeiro romance. A Mulher do Viajante no Tempo teve mais de 5 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, e até virou filme! 

O filme é o Te Amarei Para Sempre - que é uma ótima adaptação, que me faz morrer de chorar também, e que foi por ele que eu conheci o livro - e conta com Rachel McAdams (amo) como Clare, e Eric Bana (lindo!) como Henry.  E tem na netflix!

E pra finalizar, fique com o trailer do filme: 


29.6.16

Querida Transição - O início da transição capilar



Quando eu tinha 13 anos de idade, resolvi fazer a primeira progressiva no meu cabelo. Na época, eu não podia comprar os produtos certos pro meu cabelo, eu não sabia como cuidar dos meus cachos, e não fazia ideia  do porquê dele ser tão feio. Além disso eu sofria muito na escola com todo o preconceito a minha volta. As pessoas riam, me xingavam, faziam piadinhas, eram maldosas comigo o tempo todo, tanto aqueles que eu não conhecia, como aqueles que se diziam ser os meus melhores amigos. Ninguém nunca tentou me ajudar, ou me tentar me ensinar ou incentivar a cuidar dos meus cachos. Eu era nova, fraca, insegura. 

Toda vez que raiz do meu cabelo começava a ficar alta por conta dos fios que estavam nascendo, eu me acabava na chapinha, até não dar mais e eu fazer progressiva de novo. Sinceramente, eu não faço ideia de quantas vezes já usei química no meu cabelo, mas foram durante cinco anos. Hoje eu estou há 11 meses com o cabelo natural. 

Estou te contando tudo isso porque há exatamente um mês, tomei a inciativa de passar pela transição capilar, de novo. Apesar de eu já ter tentado outras vezes, dessa vez é completamente diferente. Me sinto preparada, segura e liberta. Não me incomodo com o que ninguém vai pensar do meu cabelo natural, afinal ele é natural, e é assim que eu fui feita, e é escolha unicamente minha querer não viver de chapinha ou procedimentos químicos. E uma vez que isso se tornou de extrema importância na minha vida, eu não pude deixar de trazer esse assunto pro blog.

 Pretendo fazer vários posts contando sobre a minha evolução na transição, dando dicas, tirando dúvidas, resenhando produtos e tudo que eu sentir que preciso contar pra vocês. Mas esse, o primeiro post dessa série que eu espero ser imensa, quero mesmo é falar de mim. 

O Início da Transição 

A última vez que eu fiz progressiva no meu cabelo, foi só na raiz, nessa época eu já sentia saudade do volume, e eu gostava muito dos cachos que estavam surgindo embaixo (porque mesmo fazendo progressiva, meu cabelo sempre volta nas pontas). E apesar disso, lembro que senti uma pontinha de dor no meu coração por estar maltratando meu cabelo daquele jeito. Comecei a ficar um pouco relutante. Então, no final do ano, eu passei muito mal no salão estando perto de outro cliente que estava fazendo progressiva, eu tive uma reação alérgica muito forte. Isso foi uma bênção hahaha, porque foi naquele momento que eu decidi que não queria aquilo pra mim, se só de sentir o cheiro (nem por dois minutos) me fez mal, imagina passar aquilo no meu cabelo? Não! 

Mesmo assim, eu ainda queria voltar a alisar, e comecei a pesquisar algumas formas de alisamento natural, e de repente me deparei com uma foto da Steffany Borges, uma cacheada, modelo, youtuber maravilhosa, que me fez refletir bastante. Então comecei a procurar por outras fotos de cachos, quando percebi que eu estava bem mais encantada com todo aquele volume e definição, do que com qualquer outra coisa hahaha. 


Primeiro parei com a chapinha, e os cachos na raiz começaram a surgir. Mas quando eu fiz a texturização que deu certo no meu cabelo, eu me apaixonei. Era aquilo que eu precisava. Gente, como eu amei! Foi aí que eu soube que tava na hora de voltar e passar pela transição novamente.



Só que nessa texturização, eu ainda tinha aquelas pontas sem progressiva, que eu contei pra vocês antes. Então pegou super bem, ficou definido e segurou até o dia seguinte! Só que eu não me aguentei, e ao tirar as pontas do cabelo, cortei logo metade hahahaha. E agora ta bem liso do que era antes (sem as pontas enroladas) e a texturização não pega tãaaao bem, e nem duro mais tanto tempo, porém ainda funciona hahah. 

E sim, pretendo fazer um vídeo ensinando essa texturização e outros falando sobre a transição capilar, o mais breve possível! E agora que eu já falei de mais sobre mim, vou deixar aqui algumas fotos do meu cabelo totalmente natural, pra vocês verem a situação que ta o hair dessa pessoa feliz.

Essa é pra vocês verem como ele ainda ta beeeem liso.



E aqui estão os cachos lindinhos que estão surgindo atrás <3 

Espero que tenham gostado de saber um pouco mais sobre mim, e meu cabelo, e me desculpem pelo texto enorme, é que não tem como não me empolgar kkkkk Continuem aqui comigo, que no próximo post vou falar sobre dúvidas de iniciantes na transição, e dar muitas dicas legais sobre esse processo! Curtam a página no facebook pra saber quando tiver post novo, e me segue no insta @butlariz, pra acompanhar de pertinho essa trajetória da transição e ver as dicas que vou compartilhar por lá! <3 Beijinhosssss 

15.6.16

Como criar um blogroll

Como criar um blogroll


Oi gente ♥ Hoje eu vou te ensinar como fazerum blogroll. Antes de tudo vou te pedir pra ler esse post inteiro antes de fazer. Não é difícil, mas você tem que prestar atenção pois eu vou te dar algumas opções. E pra você entender melhor, é preciso ler tudo primeiro. Beleza? Lê primeiro, faz depois.

O código desse blogroll vai servir tanto pra barra lateral quanto pra uma página estática. Você vai poder usar foto das blogueiras, ou o banner dos blogs. Te darei a opção com e sem tooltip. E a ideia é você não precisar editar e cortas as imagens todas do mesmo tamanho pra fazer, então é bem mais prático. 

Se você quiser ter uma noção de como fica, eu coloquei no rodapé do blog (lá embaixo de tudo).


Butlariz