Oi gente! Já tem um tempão que eu não apareço por aqui né? Se vocês viram meu post sobre a Laboratória, vocês devem saber o porquê. Eu fiquei todo esse tempo do lado “de fora” da blogosfera, e pude ter uma perspectiva diferente. Antes eu trabalhava em casa, durante os últimos 3 anos, eu sempre me dedicava ao blog, estava presentes nos grupos, cheia de amigas blogueiras, eu sabia como era criar conteúdo, como é cansativo, trabalhoso, e quantas vezes a gente não tem o retorno que a gente deseja. Mas nos últimos 6 meses eu estive mais do lado do leitor, eu estava consumindo conteúdo em vez de criar, procurando textos para ler, vídeos para assistir, gente legal pra assistir no instagram, e comecei a ter uma visão de como é ser a pessoa que recebe e não a que produz,  e perceber que apesar de existir tanto, mas tanto conteúdo online, não tem tanto conteúdo bom de verdade chegando até as pessoas.

Foto por: Georgia de Lotz

Por isso, nesse post como ponto de partida, vou falar sobre as coisas que eu mais gostava, as que mais me incomodavam, e citar pontos importantes que a gente pode começar a dar mais atenção, pesquisar sobre e levar em conta na hora de criar o nosso conteúdo. A partir disso, pretendo pesquisar e desenvolver melhor cada tópico futuramente, e trazer dicas mais certeira e resultados concretos pra vocês. Mas precisamos começar de algum lugar né? Preparados?

Ah, lembrando que tudo aqui é relacionado as redes sociais no geral: blog, youtube, instagram, pinterest, não só sobre uma plataforma específica. E lembrando que é uma opinião totalmente pessoal minha, de acordo com tudo o que eu estou vivendo e estudando. Fique a vontade para discordar.

1 – Crie conteúdos relevantes e torne seu conteúdo interessante.

É importante ser visto, mas não adianta que as pessoas te vejam mas não tenham interesse em continuar vendo. Eu percebi que tem muito conteúdo que deve ser super legal pra quem está criando, mas não tão legal assim pra quem está assistindo. Por exemplo: “Minha rotina na clinica de estética”. Talvez seu público não queira saber como você se arruma pra ir até a clinica, qual caminho você vai, se você vai de carro ou apé, e como a pessoa que te atende é super legal. Pode ser que seu público queira saber onde é a clínica, se tem outras em outras partes do país, qual é a faixa de preço, se o valor compensa, em quanto tempo você vê resultado, se você recomenda – esse tipo de informação agrega conhecimento e interesse em quem assiste, e ao mesmo tempo pode ser feito em forma de vlog, de forma descontraída. Ou seja, poste sobre coisas que você realmente gosta, mas tente tornar esse conteúdo relevante para quem está de fora.

2 –  Faça chamadas atrativas, mostre o seu valor

Não adianta seu conteúdo ser interessante, se você não for visto. Muitas vezes estou na timeline do meu facebook, ou vendo os stories do instagram, e aparece uma chamada pra um vídeo ou um post. Se a chamada é algo como “vídeo novo, vem ver”, ou “look do dia”, ou qualquer outra coisa que não seja chamativa nem explique rapidamente do que se trata, tem muitas chances de ser ignorado. Talvez seja legal se você falar algo positivo sobre o seu look do dia, ou vantagens desse look, como talvez o fato dele ser barato, ou ficar super lindo no corpo, ou ficar maravilhoso nas fotos. E isso serve pra qualquer conteúdo, quais vantagens a pessoa vai ter ao ver? Ela vai ficar feliz? Ela vai rir? Ela vai tirar fotos melhores, ou sair mais linda de casa, ou vai ajudar o mundo de alguma forma… Tem muita coisa para ser vista na internet, e as pessoas precisam saber que o seu conteúdo vale o tempo delas.

3. Grupos de facebook?

Esse é um assunto interessante. A maioria dos grupos que eu participava, estão cheio de links ou posts sem respostas. As pessoas só entram lá para divulgar e desaparecem, o que não é novidade né? E o que eu acho interessante disso é que: 1) Jogar seu link em milhares de grupos e depois sumir não funcionam, mas todo mundo continua fazendo. 2) Leitores mesmo, pessoas interessadas em te ler, ou te seguir, ou te acompanhar, não estão em grupos cheios de links procurando algo para ler. Então será que todo o tempo e esforço que a gente gasta jogando nossos links lá, poderiam ser aproveitados de uma forma melhor? Talvez tentando melhorar o engajamento do grupo, procurando por grupos novos, ou procurando em lugares novos? Não estou dizendo para parar de divulgar em grupos, porque sim, da algum resultado, mas podemos fazer melhor.

4. Estude seu público: Quem são? Onde estão? Como vivem? Quem eles seguem?

Pegando como gancho o tópico acima, se nossos possíveis leitores ou seguidores, não estão em grupos cheios de links procurando desesperadamente um link para clicar, o que eles estão fazendo? Onde eles estão? Para descobrir, é legal começar pensando em quem é o seu público, ou quem você quer que ele seja. São pessoas que gostam do mundo geek? São pessoas que gostam de se maquiar?

Depois de determinar qual é o seu público, encontre eles: Procure pessoas que criem conteúdo que agradem esse público, e vejam o que elas tem em comum, o que eles oferecem de melhor, veja o que faz mais sucesso nesses influenciadores, e aos poucos vocês vai descobrindo pelo que o público estava procurando quando encontrou essa pessoa, o que eles gostam, o que fazem eles seguirem alguém.

A partir dessas duas coisas, acredito que já é possível começar a pensar no seu conteúdo relevante.

5. Em primeiro lugar, esteja interessado no que você posta

Tem algumas blogueiras e youtubers que eu acompanho que são sensacionais, e não são tão grandes assim mas estão crescendo muito, e são aquelas que mostram muito interesse pelo que estão fazendo. Passam o dia falando de coisas que são relevantes, indicando lugares, dando dicas sobre o dia a dia delas, mostrando o que elas estão fazendo, e quando sai vídeo novo, da pra ver o carinho, e a vontade, o trabalho e determinação que elas tiveram pra produzir aquilo. Em contra partida, muitas blogueiras que não conseguem crescer, parecem ter até preguiça de escrever o post, ou preguiça de editar o vídeo, e se você tem preguiça de produzir, seus leitores com certeza vão sentir preguiça de ler também.

6. Conquiste pessoas, não números

E acho que uma das dicas mais importantes desse post: seus números, seus MIL seguidores no instagram, ou suas 200 visualizações não são números. São pessoas, reais, que tem sentimento, que tem uma vida tão atarefada quanto a sua e estão interessadas no que você produz. Eu também fico chateada quando vejo que meus números não estão tão altos quanto eu gostaria, mas se você parar pra pensar que cada númerinho desse é uma pessoa que ta ali te acompanhando, e lendo você, cara, você percebe o quanto o seu conteúdo, trabalho e esforço são importantes. A gente perde um pouco dessa noção quando estamos o tempo todo na internet, porque não parece tão real. Mas a partir de agora, quando for fazer qualquer coisa, lembre-se que mesmo que seus números não tenham chegado na plaquinha do youtube ainda, eles valem muito.